5 DICAS DO QUE VISITAR EM LISBOA

A capital portuguesa, Lisboa, é um dos principais destinos turísticos europeus da actualidade. Basta verificar os números oficiais do ano passado. Lisboa foi a quinta cidade da Europa que mais cresceu em número de visitantes internacionais, com um crescimento de quase 10 por cento no número total de visitas nos últimos 5 anos. Ao todo foram mais de 60 milhões de turistas só no ano de 2016, de acordo com os dados do Eurostat.

Lisboa tem sabido assim crescer com este aumento de popularidade, numa estratégia turística assente no Marketing Digital Lisboa que tem sabido aliar história e modernidade, passado e futuro, com graciosidade e equilíbrio. O investimento das autoridades em infra-estruturas tem sido acompanhado com o crescimento da oferta do número de camas e restaurantes. E, aliado a tudo isso, Lisboa faz o resto. Por isso, se está a pensar visitar a capital portuguesa deixamos de seguida 5 dicas do que visitar na cidade.

1. BAIRRO DE ALFAMA

Visitar o bairro de Alfama é visitar a Lisboa real no seu âmago. O tradicional bairro, com as suas ruas labirínticas e estreitas, é como uma espécie de cápsula do tempo, onde sentimos a cultura portuguesa a pulsar nas pedras da típica calçada portuguesa e nas janelas abertas das casas caiadas de branco. As varandas floridas, os gritos na rua, os restaurantes porta sim porta não e o bulício do dia-a-dia é um dos principais cartões de visita da capital portuguesa. E, além disso, foi em Alfama que nasceu o fado, o que faz com que seja obrigatória uma visita a uma das várias casas de fado no bairro, para ouvir esse género musical que é património imaterial da humanidade.

2. BAIRRO ALTO

O Bairro Alto tem duas caras, uma diurna e outra nocturna. Se de dia é um popular bairro lisboeta, com as suas ruas estreitas, varandas floridas e lojas abertas, de noite transfigura-se na mais importante movida alfacinha. Os bares abem-se de porta em porta, as ruas enchem-se de gente e quase que se torna impossível circular pelas suas ruas. O chique alia-se ao tradicional, os estrangeiros misturam-se com os locais e a noite ganha uma cor e um ritmo diferente no Bairro Alto. Além disso, poderá chegar ao bairro através do Ascensor da Bica ou do Elevador da Glória, dois tradicionais elevadores eléctricos da cidade, que merquem sem dúvida uma viagem. Aqui o Marketing Digital tem um papel importante pois tras a esta aera bastantes turistas.

3. FEIRA DA LADRA

A Feira da Ladra de Lisboa é um dos maiores mercados de artigos em segunda mão de toda a Europa. Acontece todos os sábados e terças-feira e é uma das visitas obrigatórias de quem vai a Lisboa pela primeira vez. Aqui encontra de tudo, a todos os preços: livros, discos, roupa, antiguidades, velharias… Por vezes, até o que não esperaria ver alguém vencer consegue encontrar na Feira da Ladra. É um dos passeios mais interessantes da cidade de Lisboa, que permite ir parando pelos cafés para bebe uma bica ou comer um pastel de nata. O local ideal para comprar as suas recordações ais alternativas e interessantes.

4. CRISTO-REI

A famosa estátua do Cristo-Rei, a imagem de Cristo de braços abertos que abençoa Lisboa (e que replica a outra no Rio de Janeiro, do Cristo Redentor), situa-se na outra margem do rio Tejo, mais propriamente na cidade de Almada, mas a proximidade co Lisboa e os fáceis acessos merecem bem a pena uma visita. O monumento tem mais de 100 metros de altura e é verdadeiramente imponente. A vista do topo é igualmente de cortar o fôlego. Aproveita a viagem para visitar também Almada. Poderá fazer a viagem utilizando o barco que parte do Cais de Sodré ou então alugar um automóvel e atravessar a ponte 25 de Abril.

5. ESTÁDIO DA LUZ

Mesmo para quem não goste de desporto e de futebol em particular, uma visita ao Estádio da Luz, casa do Sport Lisboa e Benfica, é uma opção a ter em consideração. Situado no bairro de Benfica, o estádio é o maior do país e impõe-se pela sua beleza, dimensão e porte. Não é por acaso que é conhecido como a Catedral. Se conseguir visita-lo durante uma partida de futebol irá ficar impressionado com o ambiente. Caso contrário, visite  estátua de Eusébio, o maior jogador de futebol português de todos os tempos, e o Museu Cosme Damião, onde descobrirá toda a história da maior potência desportiva portuguesa.

LISBOA – SUGESTÕES DO QUE COMER

Como todas as capitais europeias, Lisboa tem uma costela cosmopolita que a aproxima da massificação global das grandes cidades. Isso significa que existe sempre um factor de identificação, seja por encontrarmos o McDonalds, a Zara ou a Pizza Hut em cada esquina. No entanto, um dos grandes trunfos lisboetas, que faz com que muitos visitantes e turistas se apaixonem pela cidade (e façam dela um dos mais requisitados destinos turísticos europeus da actualidade) é o equilíbrio que faz entre essa modernidade e a sua própria história.

Esse equilíbrio quase perfeito entre passado e presente, e entre tradição e modernidade, fazem de Lisboa um destino de férias perfeito para todos os públicos. E, além disso tudo, é um excelente reflexo social, político e cultural do que é a identidade portuguesa e do próprio país. É uma cidade com uma grande oferta cultural e uma ainda maior diversidade gastronómica, onde os franchises de fast food coexistem com as tascas mais pitorescas e mais tradicionais da realidade nacional.

Se está a planear uma visita a Lisboa e quer provar e saborear os verdadeiros sabores da cozinha portuguesa, então este texto é indicado para si. Vamos apresentar de seguida 5 dicas de onde comer e o que provar em Lisboa:

Blue Hour, Lisbon Skyline, National Pantheon, Vasco da Gama Bridge, Lisbon, Portugal

1. PASTÉIS DE BELÉM

O pastel de nata é a principal especialidade da doçaria portuguesa. Considerado uma das sete maravilhas gastronómicas portuguesas, o pastel de nata pode ser encontrado em todos os cafés e pastelarias do país. No entanto, os originais encontram-se em Lisboa, nomeadamente na Fábrica dos Pastéis de Belém, precisamente na zona de Belém. É aí que eles continuam a ser feitos, fiéis à sua receita original, que é um segredo exclusivo da confeitaria. Visitar Lisboa e não visitar os pastéis de Belém é como ir ao Vaticano e não ver o Papa. As longas filas podem demover os menos pacientes, mas garantimos que a espera vale a pena. Até porque aí podem-se come-los ainda quentes, acabados de sair do forno, e polvilhados com canela e açúcar em pó.

2. PASTEL DE BACALHAU COM QUEIJO DA SERRA

Os pastéis de bacalhau são uma das especialidades da cozinha portuguesa, se bem que é um petisco comum a quase toda a dieta mediterrânea. Consiste numa espécie de pequeno bolinho feito de bacalhau e batata, que depois é frito. Uma delícia que pode ser encontrada em todo o país. Contudo, em Lisboa, uma loja teve a brilhante ideia de o cruzar com outra especialidade gastronómica nacional: o queijo da Serra. Na Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau, em plena Rua Augusta – a mais movimentada do centro histórico de Lisboa – pode-se provar essa exclusividade da casa: um pastel de bacalhau recheado com esse queijo amanteigado típico da Serra da Estrela, considerado por muitos como o melhor queijo do mundo.

3. GELADOS SANTINI

É impossível não dar pela gelataria Santini em pleno centro de Lisboa, no Chiado. É que as filas para entrar na loja estendem-se interminavelmente pela rua fora. E durante o verão, as filas duplicam de tamanho. No entanto, e mais uma vez, garantimos que a espera vale a pena. A gelataria fundada em 1949 por Attilio Santini, no Tamariz, é uma casa familiar que atrai visitantes de todas as idades e nacionalidades. Ao longo de seis décadas que tem deliciados miúdos e graúdos, anónimos e celebridades, que fazem sempre questão de regressar. A gelataria Santini é obrigatória em qualquer roteiro gastronómico lisboeta.

4. BIFANA DO TREVO

A bifana é uma especialidade da fast food portuguesa e consiste numa receita muito simples: uma sanduíche com uma febra de porco grelhada. Pode parecer básico, mas muitas vezes as soluções mais simples são as melhores. As bifanas do Trevo são provavelmente as mais saborosas de Lisboa. Tão saborosas que deixaram inclusiva Antony Bourdain maravilhado. Ele que as apelidou mesmo de “a glória e Lisboa”. É difícil conseguir arranjar mesa no Trevo, por isso o melhor é mesmo comer ao balcão. Encha a bifana de mostarda e, caso tenha coragem, peça o picante também.

5. GINJINHA

Finalmente, depois de provar estas delícias da cozinha lisboeta, faça uma paragem nos Restauradores para beber um digestivo. A famosa ginjinha é obrigatória para quem passa por Lisboa. Este licor de ginja é servido ao balcão, em pequenas lojas centenárias, que estão sempre cheias de turistas, artistas e anónimos de passagem. Peça a sua com uma ginja no interior. E evite os copos de chocolate, se por acaso alguém o tentar convencer disso.

VISITAR LISBOA – DICAS IMPORTANTES

Visitar uma outra cidade implica sempre riscos que, na maior parte das vezes, podem ser minorizados ou mesmo evitados. Lisboa, capital portuguesa, é um dos destinos cada vez mais requisitados na Europa e, como todas as grandes cidades, comporta alguns desafios para quem chega de fora.

Lisboa é uma cidade relativamente segura, com uma taxa de crime relativamente baixa. Além disso, o povo português é sobejamente conhecido pela sua costela hospitaleira, que gosta de receber, com a sua enorme simpatia. No entanto, isso não significa que deva negligenciar a sua segurança. Ou seja, evite passear de noite por ruas secundárias e terciárias mal iluminadas e desertas, especialmente com objectos de valor à mostra. Não há problema nenhum em sermos turistas, mas não é necessário gritarmos isso em tudo o que fazemos. Ou seja, guarde a câmara fotográfica, por exemplo, não a mantenha sempre à vista.

O mesmo em relação à sua carteira ou telemóvel. Os carteiristas são uma realidade bem presente em Lisboa e estão sempre à cata de um turista ou visitante desprevenido. Especialmente no conhecido eléctrico número 28 e 15, dois dos mais requisitados percursos turísticos da cidade, é necessário ter atenção a estes profissionais do alheio. Por isso, feche sempre a mala, guarde a carteira em bolsos interiores e não ande com muito dinheiro consigo mesmo.

Existem outras dicas importantes para quem visita Lisboa pela primeira vez. E a seguinte tem a ver com o fado. É normal que os visitantes da capital portuguesa queiram experienciar este género musical tão típico da alma lusitana, que nasceu no bairro de Alfama e que foi considerado recentemente património imaterial da Unesco. Existem centenas de restaurantes com fado ao vivo espalhados por Lisboa, especialmente nos bairros típicos. No entanto, é importante o visitante mais distraído ter atenção aonde vai.

A maioria destes locais serve apenas para extorquir dinheiro aos turistas desprevenidos, com preços altamente inflaccionados e actuações de fadistas que de fadistas têm muito pouco. Por isso, se está a pensar ir jantar a uma casa de fado informe-se bem na internet antes de sair de casa. Analise os comentários dos utilizadores e compare as críticas na internet antes de tomar a sua decisão.

Outra dica importante prende-se com a altura a visitar em Lisboa. Se tem possibilidade de escolher a altura do ano, evite ao máximo os meses de Julho e Agosto. São várias as razões pelas quais não deve vir à capital portuguesa nessa altura. Começando logo pela quantidade de turistas que irá encontrar nesses dois meses e que encherá os hotéis e outras unidades de alojamento, além das ruas e de todos os monumentos. Com isso, os preços também sofrem um aumento exponencial, com uma inflação altíssima que apenas interessa aos proprietários e aos comerciantes. Além disso, Julho e Agosto são os meses mais quentes em Portugal e Lisboa torna-se abafadíssima, tornando-se difícil caminhar e visitar as ruas durante o dia.

Finalmente, uma última dica sobre a mobilidade dentro de Lisboa. Andar de carro dentro da cidade é um inferno e praticamente uma missão impossível, de tão desconfortável que é. Além disso, a cidade conta com uma excelente rede de transportes públicos. Tudo isso para dizer que, para visitar Lisboa, não necessita de alugar um automóvel. Esta é uma decisão que apenas deve tomar se desejar visitar alguma das cidades da região lisboeta, como Sintra, Cascais, Sesimbra ou Almada.

Assim, o metro, o eléctrico e o autocarro são meios relativamente rápidos e acessíveis de visitar todos os pontos de interesse da cidade lisboeta. No momento de tirar o seu bilhete, opte pelo passe diário. Este tem a validade de 24 horas e é compatível com toda a rede de transportes públicos de Lisboa. Isto significa que estará  apoucar dinheiro ao optar por esta modalidade, caso esteja a planear usar o metro, o eléctrico ou o autocarro mais do que uma vez.

Posto isto, desfrute ao máximo da cidade de Lisboa. Aproveite o clima ameno, as ruas planas e a muita história que a cidade tem para oferecer. Certamente que não se irá arrepender da sua opção pela capital portuguesa.